Arquivo mensais:Maio 2017

Como escolher o banco da sua Startup

Se você deseja abrir uma conta em algum banco para a sua startup, deve estar se perguntando qual a melhor opção. Pode ser tentador resolver logo e escolher de forma mais aleatória, ou seguir um conselho de amigo, sem pensar muito; mas não faça isso. Pense com calma e estude bem suas opções para evitar dores de cabeça. Vamos ver aqui quais os passos que você deve tomar na hora de escolher um banco.

•    Qual o seu objetivo?
Pense, primeiramente, na razão de abrir conta em um banco. Você quer apenas ter uma conta corrente para facilitar transferências e transações? Você quer contrair um empréstimo, na forma de crédito pessoal? Ou quer uma conta poupança? Pode ser que queira uma conta corrente e uma poupança ao mesmo tempo. Pense bem nisso tudo e saiba claramente seus motivos.

•    Que banco é melhor nesses serviços?
A importância de ter seu objetivo bem claro em mente é muito grande. Assim, você já sabe bem o que procurar num banco. É interessante pesquisar a satisfação dos clientes no serviço procurado. Veja quantas pessoas elogiam ou reclamam do atendimento, infraestrutura, taxas cobradas, benefícios etc. Por exemplo, se você pretende fazer bastante uso de postos de autoatendimento (caixas eletrônicos), pesquise quais bancos costumam tê-los sempre funcionando e de forma segura.

Se é um serviço indispensável para você, e o banco que pesquisa mostra comumente ter caixas eletrônicos quebrados, seria bom repensar.

•    Qual o preço cobrado por esses bancos?
Já sabendo quais os serviços que você pretende usar, é bom checar as taxas administrativas cobradas pelo banco. Contas correntes e poupança têm taxas de manutenção, e os preços costumam variar bastante de banco para banco. Se você pretende adquirir alguma forma de empréstimo ou crédito pessoal, também é bom verificar cuidadosamente as taxas de juros cobradas. Caso não entenda bem o que cada banco diz, procure em sites na internet. Você pode encontrar tabelas comparativas dos principais bancos.

•    Lembre-se de ver os preços adequados à sua situação.
Bancos têm planos, pacotes e contas diferenciadas de acordo com sua situação. Por exemplo, caso você esteja na faculdade, é importante buscar os preços e serviços voltados para universitários. Os valores de taxas, cartões e também os serviços são diferenciados e reduzidos. Compare a diferença entre os bancos levando isso em conta.

•    Fique muito atento ao cheque especial.
O cheque especial é uma faca de dois gumes. Ele pode salvar sua vida em momentos de aperto, mas ao mesmo tempo pode ser uma armadilha perigosa. O cheque especial é o limite de crédito pré-aprovado para saques. Assim, quando você estiver zerado em sua conta, o cheque especial está disponível e você pode sacar dinheiro ou efetuar compras. E, a partir do momento em que você o utiliza, contrai um empréstimo. E os juros cobrados são muito altos.
Por isso verifique bem como os bancos cobram por este serviço. Pense se você pretende utilizá-lo ou não, veja bem as regras. E lembre-se que imprevistos são chamados assim pois chegam sem esperarmos. Pode ser que você acabe sendo obrigado a utilizar o cheque especial para emergências. Portanto, não subestime taxas de juros exorbitantes que podem te engolir mais para frente!

•    Pense em sua praticidade
Você pode, depois de analisar todas as questões acima, estar praticamente com um banco preferido na cabeça. Antes de se resolver, pense na sua vida diária. Você vai usar mais o internet banking ou bankfone? Ou pretende resolver suas questões bancárias pessoalmente? Veja como os bancos são em seus serviços tecnológicos.

Afinal, se você vai depender muito da internet, é essencial que o banco seja de confiança, seguro e com boa infraestrutura. Se o servidor cair o tempo todo, você pode perder prazos e sair muito prejudicado.

•    Pense nos seus arredores.
Não é interessante você ter conta num banco longe de você. E não pense apenas nos caixas eletrônicos – pense em sua agência. Quando houver algum problema ou você quiser contratar um novo serviço, é provável que precise conversar pessoalmente com um gerente. Atravessar a cidade para fazer isso vai ser muito aborrecedor e te fará perder muito tempo.

Pense em agências próximas da sua casa e/ou trabalho. Considere também a quantidade de caixas eletrônicos perto dos lugares por onde passa diariamente. É também interessante ver se seu banco dispõe de serviços 24 horas, especialmente para quem trabalha à noite.

•    Pense em seu trabalho e família.
Seu trabalho utiliza um banco específico? E os membros de sua família, onde têm conta? Isso pode ser interessante de se analisar. Para pagar contas, transferir e receber dinheiro, é muito mais fácil e barato quando é tudo num mesmo banco. DOC e TED exigem taxas que uma transferência comum não tem.
Se você gosta de mandar dinheiro para seus familiares ou eventualmente recebe deles – uma mesada, um pagamento de dinheiro emprestado -, esse é um ponto muito relevante.

•    Pondere todas as questões.
Agora você pode levar todas essas questões em conta. Você verá que alguns bancos naturalmente estão longe do ideal para você. Você deve ficar com apenas 2 ou 3 bancos para decidir. Faça uma lista de prós e contras e veja quais são os prós e os contras que mais pesam. Não será muito difícil escolher o banco para abrir sua conta desse modo.